ANATOMIA DO DESENVOLVIMENTO

Este espaço de divulgação científica contribui com uma breve exposição sobre a anatomia do desenvolvimento humano, tendo como objetos de demonstração o acervo da Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília coletado nos últimos quarenta anos.

O interesse pelo desenvolvimento humano antes do nascimento é tão antigo quanto a história da nossa espécie, em razão da curiosidade de desvendar os intricados processos pelos quais um bebê se desenvolve a partir de uma única célula.

A ciência contemporânea embora costumeiramente tenha dividido o desenvolvimento humano nos períodos pré-natal (antes do nascimento) e pós-natal (após o nascimento) admite, segundo Moore e Persaud (2008), que a anatomia do desenvolvimento é o campo da embriologia relacionado às mudanças sofridas por células, tecidos, órgãos e o corpo como um todo, a partir de uma célula germinativa de cada genitor, as quais resultarão em um indivíduo adulto. No período pré-natal vários eventos biológicos vão caracterizar diferentes estágios de desenvolvimento embrionário que ocorre até o quinquagésimo sexto dia, seguido pelo período fetal que termina quando o feto está fora do corpo da mãe. As mudanças que ocorrem após o nascimento frequentemente são entendidas como os seguintes períodos: lactância (até um ano), infância, puberdade, adolescência e idade adulta. 

O que um organismo chega a ser no curso do seu desenvolvimento é resultante da ação de dois fatores: a herança genética e o ambiente. Nos animais vivíparos, como é o caso dos seres humanos, durante o desenvolvimento embrionário, um órgão especializado (placenta) é elaborado tanto pelos tecidos embrionários como pelos tecidos maternos, e tem por objetivo transferir a nutrição e o oxigênio da mãe ao embrião e ao feto, e os produtos finais do metabolismo do feto para a mãe.

Atualmente se sabe que as características especiais de cada indivíduo, como o tipo de cabelo e a cor dos olhos, depende da constituição genética de cada pessoa. Os avanços científicos nos últimos 150 anos fizeram com que o significado da embriologia, fetologia e teratologia alcançassem grande importância nas Ciências da Saúde, o conhecimento que os médicos e todos os outros profissionais da área da saúde têm do desenvolvimento normal e das causas de anomalias é importante para diminuir o índice de mortalidade embrionária e fetal.

O conhecimento do desenvolvimento estrutural e funcional é essencial para compreender as mudanças fisiológicas que ocorrem no período neonatal.

Referências Bibliográficas:

Moore, K.L.; Persaud, T.V.N. Embriologia clínica. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

Anatomia do desenvol...
Anatomia do desenvol...
Anatomia do desenvol...
Anatomia do desenvol...
Anatomia do desenvol...
Anatomia do desenvol...
Anatomia do desenvol...
Anatomia do desenvol...
Anatomia do desenvol...
Anatomia do desenvol...
Anatomia do desenvol...
Anatomia do desenvol...
Anatomia do desenvol...
Anatomia do desenvol...
Anatomia do desenvol...
Anatomia do desenvol...
Anatomia do desenvol...
 
 
Powered by Phoca Gallery
Topo
Faculdade de Medicina - Universidade de Brasília-UnB - Campus Universitário Darcy Ribeiro - Asa Norte-Brasília-DF Brasil - CEP: 70.910-900
Fone: 55 (61) 3107.1701 E-mail: fmd@unb.br
Copyright © 2019 - 2020